Riversul-SP
»
Sábado, 19 de Agosto de 2017
  Bem-vindo ao nosso site!
   

 
A Câmara
Mesa de vereadores
Calendário de sessões
Sessões Ordinárias
Sessões Extraordinárias
Portal da Transparência
SIC (Serviço de informação ao cidadão)
Contas públicas
Galeria de fotos
Eventos
Legislação
Licitações e Editais
Fale conosco
 
 

 
A Cāmara
 

Histórico do Município de Riversul

 

Embora pareça nome de cidade norte-americana do Mississipe ou Missouri, RIVERSUL, com tão lindo nome, é município do Estado de São Paulo.

A história de Riversul teve início com a chegada do mineiro Joaquim Bueno, que em 1885 tomou posse dessas terras. Vieram logo a seguir José Inácio Fróes e Francisco José Fróes, seu irmão, formando assim um pequeno povoado.

Posseiros na época eram trabalhadores que ocupavam área de propriedade ainda não definidas, e tinham portanto a posse da terra ocupada. Sua presença era marcante nas frentes de combate.

Os mineiros possuidores de uma grande fibra e espírito progressista, fizeram com que o povoado crescesse rapidamente. Ergueram uma capelinha a qual deram o nome de Capela de São Bom Jesus, permanecendo até hoje Padroeiro da Cidade. O terreno foi doado por Joaquim da Silva Bueno. Essa capelinha ficava onde hoje é a propriedade do Senhor José Candido Barbosa. A capelinha foi construída em barro, e hoje, infelizmente não existe mais. O povoado cresceu e decorrido três anos veia residir nessas terras Processo Martiminiano, que deu então maior impulso ao pequeno vilarejo. Em 1890, lutou incansavelmente pela criação o Distrito de Paz. Com a queda da Monarquia e a instalação da

República, a criação do Distrito só foi conseguida em 1894 pelo decreto nº 288 de 7 de julho, com a denominação de Ribeirão Vermelho, pertencendo ao município de Itaporanga, na época chamada de São João Batista do Rio Verde.

Aos 12 de novembro de 1924 foi elevado a município, tendo como seu primeiro Prefeito o farmacêutico Manoel de Mello, mais conhecido como Coronel Nenê de Mello.

O povoado cresceu e a capela construída pelos fundadores não era mais suficiente para abrigar todos os fiéis. Iniciou-se então, por volta do ano de 1920 a construção da Igreja Matriz. A empreitada ficou por conta de Francisco Isidoro. A água e a areia utilizadas na construção eram trazidas do rio Ribeirão Vermelho por cavalos ou até em carrinhos de mão. As pedras eram tiradas do alto do morro (atual morro do Cristo), que começa ao pé do rio, de onde João Teodoro as empurrava lá de cima, fazendo-as rolar até o rio e de lá trazidas em carretas puxadas por cavalos.

Aos 12 de dezembro, de 1928 foi fundada a paróquia do Bom Jesus, e em 1º de Janeiro de 1929 tomou posse o seu primeiro vigário, o Reverendo Padre Manoel de Oliveira. Os padres que aqui trabalharam, muito colaboram na vida desta cidade, pois a religiosidade é uma característica marcante deste povo. Mas esses padres moravam na cidade de Itaporanga, e só vinham para cá no sábado, rezando as missas de sábado e regressavam a Itaporanga. Com isso a paróquia ficava sem padres durante a semana. Essa situação mudou quando chegaram os padres Cistercienses.

No ano de 1924, começou na cidade a construção da estrada de ferro que ligaria a cidade de Itararé a Fartura. Essa construção ficou a encargo da Companhia Lafayete e Siqueira, da cidade de Itapeva. O trabalho era feito com ferramentas simples – machados, foices enxadas e picaretas – pois não haviam máquinas. Grandes aterros levavam meses para serem feitos , pois o trabalho era feito com carrinhos de mão ou com cavalos. A divisão do trabalho era feita por fazendas , nas quais vários homens trabalhavam nas regiões já demarcadas. Esse trabalho foi até 1926, quando a empresa responsável faliu. O trem chegou a correr até Pedra Branca (Bairro da Zona Rural do Município de Itararé) não chegando até a cidade de Ribeirão Vermelho do Sul. Hoje, hoje restam alguns vestígios da construção abandonada.

Com a Revolução Constitucionalista de 1932, São Paulo transformou-se num campo militar, onde se preparavam estudantes e membros de profissões liberais. Era constituída pela força pública do Estado de São Paulo e por tropas federais rebeladas.

Getúlio Vargas tentando anular essas forças concentrou nas fronteiras do Estado de São Paulo, forças policiais, batalhões provisórios e forças do Exército do Sul e do Norte, bloqueando as comunicações e a possibilidade de abastecimento. Foi então que Riversul acomodou soldados do Exército do Rio Grande do Sul, que permaneceram aqui cerca de três meses. Essa Brigada Gaúcha comandada pelo Coronel Pelegrini, acampou em sua maioria no pasto do senhor Francisco Candido Barbosa, conhecido por Chico Moisés.

No dia 05 de Agosto de 1936, os Padres Cistercienses, vindos da França, tomaram posse das Paróquias de Riversul e Itaporanga, sendo muito importantes para a cidade, principalmente no setor cultural.

Em 1937, com a intervenção federal do Estado, cai a soberania do município, voltando novamente a ser Distrito de Paz.

Pelo decreto nº 14.334 de 30 de novembro de 1944, Ribeirão Vermelho, passa a chamar-se Ribeirão Vermelho do Sul.

No ano de 1948, Justino de Oliveira Brizola, consegue das autoridades competentes o Plebiscito, que possibilitaria a passagem do município para a comarca de Itararé.

Para esse plebiscito, foi usado um título especial, onde todas as pessoas maiores de idade poderiam votar, inclusive os analfabetos. A cédula era simplificada e só continham dois quadradinhos, onde os eleitores marcavam apenas sim ou não. O resultado foi favorável a Itararé, mas como a mudança além de política, seria jurídica, teria de ser aprovada pela Assembléia Legislativa. Nesse mesmo ano, o governador do Estado, Ademar Pereira de Barros, anula esse plebiscito e Riversul continua a ser Comarca de Itaporanga.

No dia 23 de setembro de 1950, por motivos políticos Justino Brizola é assassinada em praça pública por Leonço Alves Ferreira.

Aos 30 dias do mês de dezembro de 1953, o deputado estadual Augusto do Amaral, conseguiu novamente a emancipação política municipal com o nome de Ribeirão Vermelho do Sul.

Durante o ano de 1954, com a ajuda dos municípios vizinhos, foram criados os partidos políticos e feita a escolha dos candidatos a prefeitura e câmara de vereadores de para a eleição.

Os candidatos escolhidos foram dois; de um lado Aparecido Lúcio Martins e do outro Antonio Moreira Ramos, apelidado de Sula.

A primeira eleição municipal, realizou-se em outubro de 1954 e elegeu o Senhor Aparecido Lúcio Martins, pela maioria dos votos, tendo como vice-prefeito o senhor Atílio Coluço. Sua posse se deu no dia 3 de janeiro de 1955, apesar de tudo ser tido improvisado.

A partir daí, o então município de Ribeirão Vermelho do Sul, toma grande impulso para o progresso.

A origem do nome atual prende-se à junção das iniciais RI- Ribeirão, VER- Vermelho e Sul, por ficar ao Sul do Estado de São Paulo. A mudança ocorreu devido problemas principalmente com correspondências com a cidade de Ribeirão do Sul, deste Estado e Ribeirão Vermelho, Estado de Minas Gerais. Essa mudança foi feita no mandato do prefeito Aparecido Barbosa. Lei nº 2.334 de 16 de abril de 1980.

 

Legislaturas

 

1ª Legislatura – 1955 a 1958 – (instalação da Câmara)

Presidentes:
José Ferreira Filho – 1955/1956
Aparício Freire de Almeida – 1957/1958

Vereadores:
Antonio Noel
José Biglia Filho
Felipe da Silva
Fabrício Vieira de Lima
Aparício Freire de Almeida
Lázaro Batista da Rocha
Pedro Quarenten
José Ferreira Filho
Sebastião Gomes
Aparecido Padilha

2ª Legislatura – 1959 a 1962

Presidentes:
Pedro Percival Fonseca – 1959/1961
Fabrício Vieira de Lima – 1960/1962

Vereadores:
Antonio Moreira Ramos
Fabrício Vieira de Lima
Germiniano de Oliveira
José Batista de Almeida
Fernando Batista de Melo
Aparecido Lúcio Martins
Pedro Percival Fonseca
Artur Corrêa Machado
Joaquim Biglia
Benedito Fermino de Oliveira
Jamir Loureiro dos Santos
Benedito José de Paiva

3ª Legislatura – 1963 a 1966

Presidentes:
Aparecido Lúcio Martins – 1963/1964/1965/1966

Vereadores:
Aparecido Lúcio Martins
Edmundo Biglia
José de Paiva
Aldrovando Corrêa Machado
Sebastião Pereira
Nildo Biglia
Sidney Pereira Cezar
Francisco Vieira Mesquita
José Lara dos Santos
Jamir Loureiro dos Santos
Manoel Rodrigues de Melo Filho
Vitório Bugiani
Messias de Rezende

4ª Legislatura – 1967 a 1969

Presidentes:
José Batista de Almeida – 1967/1968
Sidney Pereira Cezar – 1969

Vereadores:
José Batista de Almeida
Waldemar Ramos
Armando Bortoletto
João Rodrigues Simões
Adão Batista
Pedro Torres
José Rabelo da Silva
Pedro de Almeida
Pedro Percival Fonseca
Sidney Pereira Cezar
Jamir Loureiro dos Santos

5ª Legislatura – 1970 a 1972

Presidentes:
Caetano Toma – 1970
Nabor Corrêa – 1971/1972

Vereadores:
Caetano Toma
Roque Garcia Neto
Pedro Torres
Luiz José Messias
Nabor Corrêa
José Mariano Diniz
Fernando Batista de Melo
Aldrovando Corrêa Machado
Orlando Falcin Piva
Joaquim Carneiro do Amaral

6ª Legislatura – 1973 a 1976

Presidentes:
Antonio Moreira Ramos – 1973/1974
José de Oliveira – 1975/1976

Vereadores:
Antonio Moreira Ramos
José Aparecido Gomes
Waldemar Ramos
Antonio Piovesan
Alcides de Assis Machado
Carlos de Oliveira Brizola
João Maria da Silva
José de Oliveira
Jarbas Ribeiro

7ª Legislatura – 1977 a 1982

Presidentes:
Roque Garcia Neto – 1977/1978
Waldemar Ramos – 1979/1980
João Rodrigues Simões – 1981/1982

Vereadores:
Waldemar Ramos
Messias de Rezende
Gustavo Rodrigues de Rezende
José Divino da Silva
Adão Batista
João Rodrigues Simões
Roque Garcia Neto
Fernando Batista de Melo
Getulio Cândido da Costa

8ª Legislatura – 1983 a 1988

Presidentes:
João Batista Biglia – 1.983/1.984
José Maximo Filho – 1985/1986
Antonio Carlos de Almeida Campos – 1987/1988

Vereadores:
João Batista Biglia
Antonio Carlos de Almeida Campos
Aparecido Corrêa
José Maximo Filho
Carlos de Oliveira Brizola
Herman Luiz Kolonovits
João Batista Ramos
Felix Domingues de Castilho
Mauricio de Assis Machado

9ª Legislatura – 1989 a 1992

Presidente:
Marcos Antonio Rodrigues – 1989/1990
José de Oliveira II – 1991/1992

Vereadores:
Osvaldo Maia da Silva
Marcos Antonio Rodrigues
Elias dos Santos
Maria Helena de Rezende Machado
Sergio Luiz de Melo
José de Oliveira I
Antonio Aparecido de Paiva
Divino Salvador Gomes
Adair Benedito Pereira
Luiz Flavio de Almeida
Sidinei Vieira
Jamil Aparecido Fauro
Carlos de Oliveira Brizola
Silas Pereira Costa
José Irineu Corrêa
Antonio Carlos de Almeida Campos
José Maximo Filho
José de Oliveira II
Messias de Rezende
Luiz Pedro de Souza
Edson Martins de Almeida

10ª Legislatura – 1993 a 1996

Presidentes:
Messias de Rezende – 1993/1994
José Irineu Corrêa – 1995/1996

Vereadores:
José Carlos Pascoal
Pedro Paulo Rodrigues
Antonio Carlos de Almeida Campos
Antonio Aparecido de Paiva
Elias dos Santos
Messias de Rezende
Jahir Ferreira
Gilberto Brandolin
João Maria dos Santos
José Aparecido Padilha
Edson Martins de Almeida
José Irineu Corrêa
Edmir Aparecido da Guia
Sidinei Vieira
Ismael Vicente Ramos
Nilda Neide Faustino Padilha

11ª Legislatura – 1997 a 2000

Presidentes:
Edmir Aparecido da Guia – 199/l998
Elias dos Santos – 1999/2000

Vereadores:
Edson Martins de Almeida
Edmir Aparecido da Guia
Paulo José Coluço
Antonio Aparecido de Paiva
Elias dos Santos
Joaquim Nunes Vieira
Jahir Ferreira
Marcelino José Biglia
José Carlos Pascoal
Agenor Ubaldo de Almeida
Luiz Gonzaga Batista
Antonio Barra de Souza
José Aparecido Padilha

12ª Legislatura – 2001 a 2004

Presidentes:
Antonio Aparecido de Paiva – 2001/2002
Paulo José Coluço – 2003/2004

Vereadores:
Antonio Aparecido de Paiva
Edmir Aparecido da Guia
Bendito José Pelicer
Herman Luiz Kolonovits
Sidinei Vieira
Lauro Brisola Martini
José Divino da Silva
Leonel Baena Mariote
Edmir Aparecido da Guia
Valdecir Rosa
Paulo José Coluço
José Carlos Pascoal
Joaquim Nunes Vieira

13ª Legislatura (atual) – 2005 a 2008

Presidentes:
Jussara Aparecida Ramos – 2005/2006
Reinaldo Leite de Camargo – 2007/2008

Vereadores:
Antonio da Rocha Assis
Ayres Aparecido Padilha
Benedito José Pelicer
Edmir Aparecido da Guia
Jussara Aparecida Ramos
Leonel Baena Mariote
Luiz Carlos Valadares
Marcio Cezar Vieira
Miguel Ferriel Minhoz
Reinaldo Leite de Camargo
Tarcisio Aparecido Bagatin
Valdecir Rosa

14ª Legislatura  – 2009 a 2012

Presidentes:
Elias dos Santos – 2009/2010

Luciano Aparecido Pinheiro - 2011/2012

Vereadores:
Antonio Aparecido Corrêa
Edison Antônio Ricardo
Elias dos Santos
Luciano Aparecido Pinheiro
Luiz Hipólito Gomes
Marcos Antônio Rodrigues
Malaquias Quirino
Reinaldo Leite de Camargo
Tarcisio Aparecido Bagatin

15ª Legislatura ( Atual) 2013-2016

Presidentes: Reinaldo Leite de Camargo - 2013-2014

                       Israel Mateus de Almeida - 2015-2016

Vereadores:

Alessandro Cardoso da Rosa

Israel Mateus de Almeida

João Batista de Almeida Neto

José Israel Rabelo

Miguel Ferriel Munhoz

Osni Correa Machado

Reinaldo Leite de Camargo

Roberto Bernardo Ferreira

Tarcisio Aparecido Bagatin

 

16ª Legislatura (atual)  2017- 2020

Presidente: João Carlos Almeida Campos -2017-2018

 

Vereadores:

Aguinaldo Irineu Ferandes Armelin

Amarildo Martilho Quirino

Luis Carlos Almeida 

Jean Carlos Simões Vieira

Edison Antonio Ricardo

Osni Correa Machado

Israel Mateus de Almeida

Regiane Marcela Secco

Câmara Municipal de Riversul-SP - Fone/Fax: (15) 3571-1235 - by Cpwm-Comunicação